O assunto até está a gerar polémica em alguns circulos mais conservadores da política italiana, mas o facto é que Cecile Kyenge, que nasceu na República Democrática do Congo, foi nomeada ministra para a Integração.

A africana torna-se assim na primeira mulher negra a ocupar tal posição num governo de Itália.

Após a histórica eleição de Barack Obama, um afro-descendente, para presidente dos Estados Unidos da América, a nomeação de Cecile Kyenge em Itália pode ser encarada como uma nova etapa na abordagem dos europeus sobre a problemática dos emigrantes e da aceitação da naturalização destes.