Actualmente as organizações vêm enfrentando novos desafios. As mudanças são rápidas, obrigando-as a estarem atentas em todos os seus processos. Tudo iniciou com o desenvolvimento do comércio e das actividades industriais, que influenciaram a que o número de pessoas que se concentravam nas áreas urbanas passasse a crescer. Os grupos sociais sofreram mudanças e as empresas passaram a ser constituídas de um complexo de actividades económicas, desenvolvidas sob o controlo de uma entidade jurídica. Nas organizações inseridas no contexto actual, é descabido perguntar se haverá mudanças. O problema maior não está nas mudanças que ocorrem, mas nos problemas que podem advir destas mudanças. A necessidade de mudança está presente nas teorias e modelos de gestão, seja utilizando equipamentos tecnológicos, ou respondendo às transformações impostas pela sociedade.
A evolução do mercado e da sociedade impõe às organizações novas responsabilidades, o que as leva a buscar novas práticas de gestão adequadas à realidade actual, o que realimenta o sistema com produtos e serviços que mudam o paradigma do mercado, induzindo novas necessidades de aprimoramento. Assim surge a corrida pela qualidade, baseada nos Critérios de Excelência, sendo que a avaliação é baseada em fundamentos que são reconhecidos internacionalmente. Desta forma é possível avaliar a aderência das organizações aos princípios da excelência.