O Governo angolano está a preparar uma norma que vai estabelecer o pagamento pelos consumidores de uma taxa por cada saco de plástico para compras, adquirido nos estabelecimentos comerciais, segundo anúncio feito no fim de 2016 pelo presidente da Agência Nacional de Resíduos, Sabino Ferraz.
A medida visa mais do que garantir uma fonte de arrecadação de receitas para o Estado, proteger o ambiente através da redução do consumo desse tipo de sacos e da sua substituição por soluções ambientalmente mais sustentáveis.
Quando a norma for aprovada, em data que não foi avançada, o consumidor em Angola vai pagar ao Estado cinco kwanzas por cada saco de plástico, um valor que, como disse Sabino Ferraz, “é acessível às bolsas dos trabalhadores e, ao mesmo tempo, suficiente para estimular a redução do consumo desse tipo de material”.