Segundo maior porto da Europa, procura reforçar a sua posição histórica como líder na costa Ocidental Africana.
As autoridades portuárias de Antuérpia e de Dakar vão colaborar mais estreitamente nos próximos anos. Desta forma, Antuérpia, o segundo maior porto da Europa, procura reforçar a sua posição histórica como líder na costa Ocidental Africana. Por seu lado, o porto senegalês de Dakar vê a colaboração como uma forma de se posicionar como principal hub regional para transporte de carga.
De modo a oficializar a futura colaboração, na passada sexta-feira as respectivas autoridades portuárias assinaram um Memorando de Entendimento (MoU). Aboubacar Sedikh Beye assinou em nome do Porto Autónomo de Dakar, ao passo que o secretário executivo das duas subsidiárias portuárias da Antuérpia, Kristof Waterschoot, (PAI e APEC), representou o lado de Antuérpia. A cerimónia de assinatura contou com a presença do Primeiro-Ministro belga, Charles Michel e do Vice-Primeiro-Ministro e Ministro da Cooperação para o Desenvolvimento, Alexander De Croo, ambos em visita de trabalho ao Senegal.
Cruzamentos de Dakar
Com um volume anual de carga de 17 milhões de toneladas, Dakar é um dos maiores portos da costa ocidental africana. Esta cidade portuária ocupa uma posição única no mapa mundial, situada no cruzamento de rotas marítimas entre a Europa, por um lado, e a América do norte e do sul e do sul de África, por outro. Graças ao seu excelente acesso por mar, Dakar é um dos poucos portos da África Ocidental capaz de receber navios de todas as dimensões em qualquer altura.
Mas Dakar ampliou os seus planos e pretende construir um novo porto a 50 km de distância das actuais instalações e que, com uma profundidade de quilha de 18 metros, será capaz de receber a mais recente geração de navios cargueiros gigantes sem dificuldades. Juntamente com o novo porto, Dakar também planeia criar uma zona económica e de logística de 600 hectares.

Experiência de Antuérpia
“Iremos usar a nossa experiência e competência para ajudar Dakar a cumprir as suas ambições”, declarou Kristof Waterschoot depois da assinatura. Um relatório recente do Banco Mundial destaca o potencial económico do continente, mas também aponta alguns desafios tais como a falta de pessoal com formação suficiente. “Iremos avançar imediatamente para resolver esta questão, partilhando o nosso know-how e a nossa experiência. O nosso centro de formação Apec mantém-se como o parceiro de eleição para a formação de profissionais marítimos, ao mesmo tempo que a nossa empresa de consultoria PAI irá ajudar a autoridade portuária com as competências necessárias para o desenvolvimento de um terminal multiusos e para o aprofundar de canais de forma a maximizar a capacidade do porto de Dakar”, concluiu Waterschoot.
O MoU também contém uma série de compromissos na área do marketing, do desenvolvimento de relações comerciais, da organização de eventos comerciais conjuntos e da troca de informação sobre temas como alfândegas e questões fiscais, segurança e sustentabilidade.