As remessas totais dos emigrantes para Portugal aumentaram 9,6 por cento, superando pela primeira vez os 403,7 mil milhões de kwanzas.

Os portugueses a trabalhar em Angola enviaram para Portugal no ano passado mais de 40,9 mil milhões de kwanzas em remessas, um aumento de 12,4 por cento em relação a 2012. De acordo com os dados do boletim estatístico do Banco de Portugal, foi deste país que partiu a maioria (97,5) das verbas enviadas por emigrantes portugueses em África.

No total, o valor remetido dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) subiu 13,6, para 42,5 mil milhões de kwanzas. Depois de Angola, Moçambique foi o segundo maior emissor (7,5 milhões, com um aumento de 51,1 por cento).

Angola foi também o país africano que mais remessas recebeu a partir de Portugal (2,4 mil milhões de kwanzas, mais 22 por cento). O valor enviado pelos cabo-verdianos reduziu-se 6,5.

Remessas mundiais
No total, incluindo todos os países, as remessas dos emigrantes para Portugal subiram 9,6 por cento, superando pela primeira vez os 403, 7 mil milhões de kwanzas), enquanto o dinheiro enviado pelos imigrantes em Portugal aumentou 5 por cento, para 74,8 mil milhões de 74,8 mil milhões de kwanzas.

Os trabalhadores portugueses em França continuam a ser os que mais dinheiro enviam (mais de 99,8 mil milhões em 2013, uma subida de 5,7 por cento), seguindo-se a Suíça (99,3 mil milhões de kwanzas).

Metade do dinheiro enviado de Portugal para os países de origem dos imigrantes seguiu para o Brasil (34 mil milhões de kwanzas, uma subida de 12,2 por cento), enquanto os portugueses a trabalhar no Brasil enviaram 1,8 mil milhões de kwanzas (mais 54 por cento).