O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e Cabo Verde assinaram um contrato de empréstimo de 40 milhões de euros para revitalizar a economia cabo-verdiana, principalmente através do financiamento do sector privado.
Segundo o Gabinete de Comunicação do BAD, este acordo assinado, em Abidjan (Côte d’Ivoire), prevê duas fases de financiamento, no valor de 20 milhões de euros cada, em 2018 e 2019.
A instituição anuncia que a verba é para apoiar o novo Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável de Cabo Verde (2017-2021), que o BAD financia através do seu Programa para Melhorar a Competitividade do Sector Privado e o Desenvolvimento Económico Local .
“Este programa visa fortalecer a contribuição do sector privado e das entidades locais para o crescimento e a criação de empregos”, justifica Marie-Laure Akin-Olugbade, directora executiva do Banco para a África Ocidental.
Segundo a responsável, isto facilitará a prática comercial e a competitividade, acelerará o desenvolvimento local e aumentará a contribuição da descentralização para o crescimento económico.
“A assinatura deste acordo é muito importante para a consolidação da economia de Cabo Verde. O programa competitivo do sector privado e do desenvolvimento local deve assegurar o crescimento do nosso país sobre uma base sólida “, vincou, por sua vez, Felino Inácio Rosa De Carvalho, embaixador de Cabo Verde na Côte d’Ivoire.
Este apoio financeiro deverá, segundo o diplomata, levar à melhoria das condições de vida dos cidadãos em Cabo Verde, um país onde “a economia é baseada principalmente em pequenas empresas”.
Lembrou que o Governo tem investido fortemente em infra-estrutura nos últimos anos e que o desafio agora é permitir que o sector privado possa alavancar o crescimento económico, criando mais empregos e reduzindo a pobreza no país.
Sempre comprometido com Cabo Verde, o BAD tem uma carteira activa de mais de 85,4 milhões de euros, com projectos nas áreas de energia, transportes, água e saneamento, bem como nos sectores social, agrícola e de governação.