O Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) aprovou uma linha de crédito de 30 milhões de Euros ( 20 mil milhões de Francos ) a favor do Banco de Desenvolvimento do Mali (BDM).
O fundo visa a financiar projectos de investimentos a longo prazo.
A clientela do BDM é constituída por grandes, pequenas e médias empresas (PME) que operam nos sectores reputados de alta intensidade de mão-de-obra, tais como a agro-indústria e o alojamento social.
A operação vai considerar as prioridades estratégicas do BAD e dedicar pelo menos 15 por cento da facilidade às empresárias.
Esse financiamento vai dotar o BDM de recursos necessários para apoiar a expansão de empresas malianas.
O mesmo terá um impacto considerável no desenvolvimento, nomeadamente, com a criação de pelo menos um milhão de empregos, a construção de 500 alojamentos sociais, o ordenamento de um milhão de hectares de terras agrícolas.
Espera-se ainda um alívio dos constrangimentos financeiros e o acesso aos recursos de longa duração das PME bem como das grandes empresas financiadas pela transacção.
Ainda com o mesmo propósito, o Banco Exportação-Importação da China vai conceder ao Mali um empréstimo de mais de 93 biliões e 700 milhões de francos para o financiamento do projecto Mali-Digital.
O Governo maliano adoptou, no passado mês de Outubro, os projectos de lei relativos à ratificação do acordo do empréstimo em causa assinado a 28 de Setembro passado, em Beijing, entre o Mali e o Banco Chinês.
O projecto abrange a construção de 817 quilómetros de cabos de fibra óptica em várias localidades do centro e do norte do Mali, nomeadamente Mopti, Bankass, Bi, Tombouctou, Bamba, Gao, Goutchoum, Labbezanga.
Abrange igualmente o fornecimento dos equipamentos de transmissão de nós e fonte de alimentação associadas das mesmas localidades.
A realização do projecto Mali-Digital vai permitir dotar as populações e a administração de serviços de comunicação mais eficazes, eficientes e protegidos, segundo a mesma fonte.