A directora-geral da Comunidade de Países de Língua Portuguesa considerou esta semana que o apoio do Banco Africano de Desenvolvimento “é fundamental” e que abre uma “avenida nova de financiamento” na CPLP.
Para a directora-geral da CPLP, Georgina Melo, que falava após um encontro com o presidente daquela instituição, Akinwumi Adesina, o apoio do BAD é fundamental e “abre uma avenida nova de financiamento” para os projectos que estão em preparação.
“Vamos entrar, abrimos novas avenidas de financiamento e isso dá-nos um alento muito grande”, vincou Georgina Melo. “O banco quer a nossa cooperação em muitas das intervenções que planeia porque muitas coincidem com as nossas prioridades”, disse a responsável à Lusa, no
final da reunião com Adesina.
Para Georgina Melo, a visita do presidente do BAD e a promessa de acesso a verbas para projectos na lusofonia é uma das consequências do trabalho interno feito nos últimos anos.
“Temos vindo a preparar a CPLP para se candidatar e ter acesso a fundos de outras entidades e instituições financeiras internacionais para financiar projectos, e esta reunião mostra que os preparativos que fizemos em termos de organização e instrumentos de controlo financeiro interno estão a dar resultados e assim podemos projectar a CPLP, em termos de financiamento, para programas e projectos do século XXI”, concluiu a directora-geral.
A energia e a agricultura são dois sectores em que o BAD pode cooperar e ajudar a financiar projectos nos países lusófonos, considerou o presidente desta instituição financeira. “Somos um parceiro estratégico para acelerar o desenvolvimento”, vincou o antigo ministro da Agricultura da Nigéria, Akinwumi Adesina, que ocupa a presidência do BAD desde 2015.