Quase quatro meses antes de expirar o prazo, os principais bancos centrais europeus assinaram um novo e quarto acordo sobre o ouro.

No pacto, também assinado pelo Banco de Portugal, as instituições salientam que não pretendem vender reservas e que vão continuar a coordenar as suas transacções do metal com o objectivo de evitar perturbações no mercado.

Em comunicado emitido no princípio dessa semana, o Banco Central Europeu (BCE) revela que vários bancos centrais, entre os quais o Banco de Portugal, assinaram o quarto acordo sobre o ouro.

Para clarificar as suas intenções sobre as suas reservas do metal precioso, os signatários admitem que “o ouro continua a ser um elemento importante para as reservas monetárias internacionais” e que vão “continuar a coordenar as suas transacções de ouro a fim de evitar perturbações no mercado”.

“Os signatários salientam que, actualmente, não têm qualquer plano para vender quantidades significativas de ouro”, adianta o documento.

O acordo entra em vigor no próximo dia 27 de Setembro.