Os gigantes Deutsche Bank e o seu concorrente Commerzbank (detido em 15 por cento pelo Estado alemão) confirmaram no domingo que iniciaram as conversações formais para uma eventual fusão, pondo fim a vários meses de especulação.
As administrações dos dois bancos alemães reuniram-se, separadamente, para aprovar o início formal das negociações e emitiram curtas declarações sobre o tema, alertando que o desfecho ainda está em aberto.
Os dois maiores bancos da Alemanha, anunciou o Commerzbank num comunicado, “acordaram o início das negociações com um desfecho aberto em relação a uma potencial fusão”.
Já o Deutsche Bank afirma que o conselho de administração decidiu “rever as opções estratégicas”, alertando que “não há certeza de que qualquer transacção ocorrerá”.
Fontes próximas do processo, citadas pelas agências de notícias internacionais, asseguram que o Deutsche Bank concordou em iniciar as conversações para a fusão depois de o Governo alemão ter sinalizado que não iria colocar entraves a eventuais cortes de pessoal e de custos que se revelem necessários.