O desenvolvimento dos sectores de gás e carvão representa uma oportunidade ímpar para acelerar o crescimento inclusivo e para a redução significativa da pobreza em Moçambique, revela um estudo conjunto do Banco Mundial (BM) e da Universidade Eduardo Mondlane (UEM) lançado quinta-feira na capital moçambicana, Maputo.

O documento, citado pela fabrisagência moçambicana de notícias (AIM), versa sobre a gestão sustentável da receita proveniente dos recursos naturais no país.

Segundo Mark Lundell, do Banco Mundial, o estudo antecipa riscos da exploração de recursos naturais e que devem ser levados a sério, dado que os países ricos em recursos naturais nem sempre conseguem obter os benefícios esperados dessas suas potencialidades.

“As conclusões deste relatório sobre os níveis de receitas esperadas com exploração plena dos recursos naturais em Moçambique são animadoras. No entanto, devem ser levadas a sério dado que os países ricos em recursos naturais nem sempre conseguem obter os benefícios esperados dos seus recursos naturais”, disse Lundell.

O economista do BM e principal autor do estudo, Enrique Armas, disse que as autoridades governamentais devem reforçar os seus sistemas de gestão.