O Banco Mundial (BM) vai apoiar um programa que o Congo vai concluir com o Fundo Monetário Internacional (FMI), anunciou, na semana passada, em Brazzaville o administrador do país junto do BM, Seydou Bouda.
“O Banco Mundial faz parte dos parceiros do Congo e o programa que se faz sob a supervisão do FMI vai igualmente vinculá-lo de forma a contribuir para o financiamento das necessidades do programa, quer sob a forma de apoio orçamental quer sob a forma de assistência técnica”, declarou Bouda.
Segundo informou a agência Panapress, no termo duma reunião com o chefe de Estado congolês, Denis Sassou Nguesso, o administrador do país junto do BM acrescentou que “nós passamos em revista um conjunto de preocupações relativas ao Congo na sua parceria com o Banco Mundial. Nós vimos a carteira, as dificuldades financeiras para projectos sem financiamento, como por exemplo, os da barragem de Sounda, no Sul, e do Fundo Azul para a Bacia do Congo”.
A fonte adiantou que o BM, em Fevereiro de 2017, o seu volume de acções no Congo consistia em 12 projectos, avaliados em 805 milhões 800 mil dólares americanos, incluindo uma operação regional designada “Backbone”, que visa desenvolver uma rede de telecomunicações na África Central, e um projecto Redd de Redução das Emissões devidas à desflorestação e à degradação das florestas.
O BM está actualmente envolvido em discussões com as autoridades congolesas sobre o orçamento de 2018, as Finanças Públicas, a gestão da dívida e o Plano Nacional de Desenvolvimento (PDN).