Uma influente comissão parlamentar britânica exigiu esta semana, que o governo de Theresa May faça mais e cria medidas para combater o fluxo de dinheiro “corrupto” russo que circula em Londres.
“Não há desculpa para o Reino Unido fechar os olhos quando os cleptocratas do presidente Vladimir Putin e os violadores dos direitos humanos usam dinheiro lavado em Londres para corromper os nossos aliados, enfraquecer as nossas parcerias e corroer a confiança das nossas instituições”, escreveu o Comité de Relações Exteriores da Câmara dos Comuns num relatório.
A primeira-ministra conservadora endureceu a sua posição em relação a Moscovo depois do envenenamento do ex-espião russo Serguei Skripal em solo britânico a 4 de Março deste ano, atribuído à Rússia, que nega.
O governo expulsou diplomatas russos e prometeu caçar os “criminosos e elites corruptas”, enquanto os parlamentares aprovaram uma emenda para impor sanções para “desencorajar” violações dos direitos humanos e para “responsabilizar” aqueles que as cometem.
Mas de acordo com a comissão, “o presidente Putin e os seus aliados puderam continuar a agir como se nada tivesse acontecido escondendo e lavando seus bens sujos em Londres”.
“O Reino Unido deve ser claro sobre o facto de que a corrupção proveniente do Kremlin não é mais bem-vinda em nossos mercados e vamos agir”, insiste.
Os deputados exigem medidas mais severas. Neste sentido, querem que Londres utilize a sua posição como um centro financeiro global para reforçar as lacunas nos acordos e apelar a uma cooperação mais estreita com os Estados Unidos, o G7 e a UE.