O Bundesbank afirmou que a economia alemã abrandou no verão, mas por um efeito extraordinário devido à queda da produção no sector automóvel.
No boletim mensal de Novembro, publicado segunda-feira última, o banco central alemão lembrou que a economia registou um recuo de 0,2 por cento no terceiro trimestre em relação aos três meses anteriores.
Esta queda deve-se sobretudo à descida da produção e das exportações no sector automóvel por “significativos problemas na implementação de novas normas sobre emissões” na Europa.
O consumo privado, um importante impulso conjuntural, também baixou temporariamente.
O Bundesbank considera que os motivos desta descida do consumo privado foram o tempo seco e mais quente do que o habitual nos meses de verão, juntamente com uma oferta de automóveis mais reduzida na produção nacional e a discussão sobre a proibição de alguns veículos com elevadas emissões poluentes.
O Bundesbank prevê que no final do ano “a economia alemã volte a expandir-se com solidez”.
Os construtores automóveis alemães tiveram problemas na implementação de uma nova norma de homologação de emissões e consumo, que entrou em vigor em 01 de Setembro na Europa para os veículos com matrículas mais recentes.
Os testes são mais rigorosos e feitos na estrada, em condições reais de uso, ao contrário que acontecia no anterior ciclo.