Um sindicato de bancos internacionais vai conceder ao Burkina Faso 65 milhões de euros para financiar a sua campanha algodoeira nos termos de uma convenção de financiamento a ser assinada, em Paris, com a Empresa Burkinabe de Fibras Têxteis (Sofitex), anunciou fonte diplomática na capital francesa.
O empréstimo da campanha servirá para a aquisição do algodão grão junto dos agricultores de algodão, o transporte do produto para as 15 fábricas de descasque da Sofitex e a evacuação da fibra de algodão para os portos de embarque da Côte d’Ivoire, do Togo, do Benin e do Gana.
O crédito permitirá igualmente a aquisição e o despacho de fertilizantes, segundo uma nota de imprensa da Embaixada do Burkina Faso em Paris, cuja cópia foi transmitida à PANA.
O algodão representa o primeiro produto de exportação do Burkina Faso e garante diretamente meios de subsistência a mais de quatro milhões de pessoas, além dos cinco mil empregados da Sofitex.
Várias unidades de produção de óleo alimentar são abastecidas em grãos , azeite e a Sofitex representa a principal fornecedora de matéria-prima da empresa FILSAH e de tecelões que confeccionam o algodão emblemático do “País dos Homens Íntegros”, que é o “Faso Dan Fani”.
“O fluxo de dinheiro injectado na zona rural com a aquisição do algodão grão reduz consideravelmente a pobreza. Para além desta vantagem, está provado que a cultura do algodão estimula a produção cerealífera, pois os maiores produtores de algodão são também os melhores produtores de cereais”, sublinha a chancelaria burkinabe no seu comunicado.
A campanha algodoeira de 2017 a 2018 culminou numa produção de 563 mil toneladas contra 544 mil toneladas na campanha de 2016 a 2017, graças ao profissionalismo dos corajosos agricultores de algodão e à dedicação de todo o pessoal da Sofotex, acrescenta o comunicado da Embaixada do Burkina Faso em França.
“O algodão constitui o pulmão da economia do Burkina Faso. Apoiar esta produção é lutar contra a pobreza e a insegurança alimentar. Por isso, o apoio do Polo Bancário Internacional à Sofotex deve ser saudada pelo seu justo valor”,
acrescentou a mesma fonte.
O Burkina Faso tem um dos menores PIB em valores per capita no mundo: 1.500 dólares. A agricultura representa 32 por cento do seu PIB e é a ocupação de cerca de 80 por cento da população economicamente activa. A população dedica-se também à criação de gado. Na região sul e sudoeste, as pessoas realizam plantios de sorgo, milheto, milho, amendoim, arroz e algodão, com
excedentes para serem vendidos.