Uma maior central solar fotovoltaica de Cabo Verde será construída no município de São Miguel, no interior da ilha de Santiago, apurou a Pana quarta-feira de fonte segura na Cidade da Praia.
Orçada em 100 milhões de euros, a central em apreço terá uma capacidade instalada de 10 megawatts e produzirá cerca de 18 gigawatt/hora por ano, de acordo com a fonte.
O empreendimento vai ainda evitar a emissão de cerca de 12 mil e 500 toneladas equivalentes de dióxido de carbono (CO2) para o ambiente.
A construção da infraestrutura, que vai ocupar uma área de 22 hectares, a cargo da empreiteira portuguesa Tâmega Energy, deverá ficar concluída em Setembro de 2020, indica a fonte.
Presente na cerimónia de assinatura do contrato para a implementação, construção e exploração da Central Solar, entre o Governo cabo-verdiano e a empresa vencedora do concurso público, o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, considerou ser “um momento marcante” para o país porque “o projecto tem impacto a vários níveis”.
“Significa uma contribuição importante para o aumento da produção de energia renovável e a execução do nosso plano de transição energética. Tem um impacto importante na dinamização do emprego, que é na fase de construção e de instalação. Mas há também oportunidades de emprego na fase de operação e de manutenção, que são empregos mais duráveis e sustentáveis”, afirmou.
O Chefe do Governo cabo-verdiano salientou que as centrais de energia solar e eólica, em desenvolvimento em Cabo Verde, vão aumentar a capacidade de produção de energia renovável em 75 por cento.