O secretário de Estado Adjunto do ministro de Estado cabo-verdiano, Carlos Monteiro, defendeu esta semana que o desenvolvimento sustentável do país só será possível com a complementaridade entre os
sectores público e privado.
“O desenvolvimento sustentável de Cabo Verde não caminhará por outro lado que não seja a complementaridade entre o sector público e o sector privado”, disse o membro do Governo cabo-verdiano, que falava, na cidade da Praia, no acto central da comemoração do
Dia Mundial da População.
Para Carlos Monteiro, o empoderamento do sector privado permitirá a criação de mais empregos, que ajudará o país a ter uma maior sustentabilidade do seu regime de protecção social, bem como aproveitar o dividendo demográfico com a criação de emprego e geração de riquezas.
“Só com a complementaridade entre o sector público e o privado, com políticas de empregos e com políticas sociais concretas podemos garantir o objectivo de não deixar ninguém para trás”, apontou o secretário de Estado.
Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), Cabo Verde tem uma população residente de 531 mil habitantes, uma taxa de desemprego de 12,2 por cento e uma taxa de
desemprego jovem de 32,4 .
Durante o acto, foi ainda apresentado o relatório sobre a situação da População Mundial, que assinala “progressos consideráveis” em matéria de saúde sexual e reprodutiva, sobretudo no exercício pelas mulheres, do seu direito à sexualidade.
Segundo Adelaide Ribeiro, representante do Fundo das Nações Unidas para a População (FNUAP), o relatório também mostra ganhos em matéria de métodos contraceptivos,
por exemplo.
O documento demonstra ainda que as pessoas portadoras de deficiência têm mais acesso aos serviços de saúde sexual e reprodutiva, prosseguiu Adelaide Ribeiro.
Este ano, a ONU celebra o Dia Mundial da População sobre o lema “50 Anos da criação do FNUAP e 25 anos da Conferência Internacional sobre a População e Desenvolvimento CIPD: Acelerando Promessas”.