Os dados provisórios do comércio externo que foram divulgados esta semana pelo Instituto Nacional de Estatística mostram que no I trimestre deste ano, “as importações e as reexportações tiveram evolução negativa de (-19,6) e (-8,0 por cento), respectivamente, enquanto as exportações evoluíram positivamente (77,4), em relação ao período homólogo. No período em análise, o défice da balança comercial diminuiu (-23,7 por cento) e a taxa de cobertura aumentou em 4,9”.
No I trimestre de 2018 as exportações cabo-verdianas ultrapassaram um milhão de contos, avança o INE, no seu relatório sobre o comércio externo nacional. Segundo o documento as exportações “de Cabo Verde totalizaram 1.449 mil contos, correspondendo a um acréscimo de 77,4 por cento face ao mesmo período do ano anterior (+632 mil contos)”.
“No período em apreço, a Europa, continua a ser o principal cliente de Cabo Verde, absorvendo cerca de 97,3 por cento do total das exportações cabo-verdianas e evoluindo 79,5 por cento comparativamente ao mesmo período do ano anterior. As exportações para os outros continentes foram de montantes pouco expressivos, embora tenham crescido para a América”, adianta o documento.

Espanha é o principal cliente
O documento mostra igualmente que, no que respeita aos países com os quais Cabo Verde mantém relações comerciais, “Espanha, lidera o ranking dos principais clientes de Cabo Verde, absorvendo, no I trimestre de 2018, 75,4 por cento do total das exportações cabo-verdianas. Portugal ocupa o segundo lugar na estrutura das exportações de Cabo Verde, com 21,7 por cento, diminuindo 19,7 em relação ao mesmo período do ano de 2017”.
“Entre os produtos exportados por Cabo Verde no I trimestre de 2018, os preparados e conservas lideram o ranking com 56,0 por cento, os peixes, crustáceos e moluscos ocupam o segundo lugar com 20,2, o vestuário o 3º lugar com 10,4, em relação ao valor registado no mesmo período do ano anterior. Estes três produtos representaram, no período em análise, 86,6 do total das exportações de bens de Cabo Verde”, específica.

Importações em queda
As importações de Cabo Verde, no período em análise, “registaram um decréscimo de 19,6, face ao mesmo período do ano anterior. O continente europeu continua a ser o principal fornecedor de Cabo Verde, com 74,2 por cento do montante total (contra 83,8 do mesmo período do ano transacto)”. No entanto, o INE realça que as exportações deste continente para Cabo Verde, registaram uma diminuição de 28,8 por cento, face ao mesmo período do ano anterior.
“Portugal e Espanha (mesmo tendo evoluções negativas de, respectivamente, -12,2% e -49,1%), ocupam o primeiro e o segundo lugar, respectivamente, entre os fornecedores de Cabo Verde, representando 42,9% e 14,4% do total das importações .