O Governo congolês acaba de adotar um projecto de Orçamento do Estado, para o exercício 2019, com receitas e despesas de dois triliões, 308 biliões e 798 milhões de francos CFA, soube a imprensa local de fonte governamental.
Segundo o porta-voz do Governo, Thierry Moungalla, este orçamento para 2019 prevê um défice estimado em um trilião e 24 biliões de francos CFA, que será colmatado por um financiamento interno de 569 biliões 840 milhões de francos CFA e externo (contribuição dos doadores internacionais) de 454 biliões e 160 milhões de francos CFA.
O Governo, preocupado em conduzir uma política orçamental rigorosa, vai concentrar a sua acção na securização optimizada dos recursos públicos, no domínio das despesas públicas, privilegiando a sua maior eficiência, na viabilidade da dívida pública, com vista a torná-la sustentável, para uma boa execução do orçamento, sublinhou o porta-voz do Governo.
Moungalla recordou que este orçamento foi elaborado num ambiente dominado pelo prosseguimento das negociações com o Fundo Monetário Internacional (FMI), e inscreve-se no âmbito de um programa restritivo que visa o restabelecimento dos equilíbrios, graças ao ajustamento orçamental que deverá favorecer a recuperação económica a médio prazo.
“Este orçamento anuncia que o Congo está a sair lenta mas seguramente dos anos orçamentais negros, com a esperança de uma retoma progressiva do crescimento sustentado pelos setores petrolífero e não petrolífero, e será transmitido ao Parlamento para aprovação”, indicou.