O Fundo de adaptação da Convenção-Quadro das Nações Unidas relativa à mudança climática vai financiar, no valor de 10 milhões de dólares americanos, o projecto de reforço das capacidades de adaptação às alterações climáticas das comunidades vulneráveis do Congo.
Para um período de cinco anos, este projecto visará o reforço da segurança alimentar e a nutrição através de medidas de adaptação às mudanças climáticas.
Os membros do Comité Técnico e os diferentes peritos do Sistema das Nações Unidas acabam de emendar a nota conceitual do referido projecto que se baseia em três componentes, designadamente o reforço das capacidades técnicas, a sensibilização, os serviços climáticos e os meios de subsistência resilientes.
As duas primeiras componentes abrangerão todo o território nacional, enquanto a terceira apenas incidirá sobre os departamentos da Bouenza, Sangha e Likouala.
Cento e trinta e cinco aldeias serão visadas. Estas zonas estão expostas a um alto risco climático e possuem um estatuto socioeconómico medíocre, o que denota uma vulnerabilidade crónica.
Com efeito, foram levadas a cabo consultas junto das comunidades agrícolas, no âmbito da elaboração da nota conceitual do projecto, nos meses de Abril e Agosto de 2018, nos três departamentos.
“Os agricultores de Bouenza (Sul) explicaram-nos a dificuldade que têm com a imprevisibilidade crescente das estações e dos riscos que correm no momento da sementeira. As comunidades autóctones de Sangha e Likouala, no Norte do país, descreveram-nos o esgotamento dos cursos de água em que pescam e o desfasamento da estação das lagartas. Portanto, podemos começar as actividades nestes departamentos.