O ministro do Planeamento e Desenvolvimento da Côte d’ivoire, Albert Mabri Toikeusse, anunciou recentemente, em Paris que o seu país vai beneficiar de empréstimos chineses, totalizando 959,8 mil milhões de kwanzas nos próximos seis anos.

“Confirmamos um pacote global de 959,8 mil milhões de kwanzas, para alavancarmos diferentes projectos de desenvolvimento”,
declarou José Maria Neves.

O governante informou ainda que o primeiro pacote, no valor de 15,3 mil milhões de kwanzas, está relacionado com um projecto
de dessalinização, armazenamento e transporte de água para toda a ilha de Santiago.

“A China vai emprestar à Côte d’ivoire com base em taxas preferenciais para os próximos seis anos”, disse Toikeusse em entrevista
à agência Bloomberg. “Na nossa parceria com a China, pretendemos acelerar o desenvolvimento da economia da Côte d’ivoire”, acrescentou, observando que tais empréstimos serão utilizados para financiar projectos de infra-estruturas. Contactado pela Bloomberg, um assessor económico do Governo de Pequim, Lu Pang, não quis comentar a informação.

O Senegal torna-se assim, apenas, mais um dos países da África Ocidental que aceita estes créditos chineses que são
concedidos directamente pelo Export-Import Bank of China.

Nos termos do acordo assinado com o Governo chinês, parte destes fundos, entre outras coisas, financiará a expansão do porto
de Abidjan, um investimento de 239,9 mil milhões de kwanzas.

Outros dois mil milhões devem ser usados para a construção de uma ferrovia ligando a região de Man (Oeste) à cidade de San
Pedro, que tem o segundo maior porto do país, com um investimento de 191,9 mil milhões de kwanzas.

Este anúncio do empréstimo chinês surge apenas um mês depois de o ministro ivoiriense das Finanças, Nial Kaba, ter dito,
em entrevista à Reuters que o seu país poderia transformar a China num dos seus novos parceiros, no seguimento dos novos empréstimos para financiar a reconstrução do maior exportador mundial de cacau, produção devastada após a guerra civil de 2010-2011.

Jean Ping O antigo presidente da Comissão da União Africana foi nomeado director geral do fundo de investimentos
de capital “Partner”. Com sede na Côte d’ivoire, este fundo dispõe de 4.820,5 mil milhões de kwanzas e surge algum tempo
depois de o antigo presidente da comissão executiva da UA ter lançado a “Pingand Ping”, especializada em consultoria internacional,
com os filhos.