Os anos passam, mas Cristiano Ronaldo continua o mesmo: uma máquina de marcar golos e um devorador de recordes. Esta quarta-feira, para lá de ter feito aquilo que melhor sabe (marcar), o capitão da Seleção Nacional tornou-se ainda no primeiro jogador da história da Liga dos Campeões a superar a centena de golos por um clube na máxima prova de clubes da UEFA, agora com mais 4 sobre Lionel Messi. E se a “alcunha” irónica de Penaldo é muito usada, diga-se que destes 101, apenas 14 foram de penálti.
Ronaldo é, como se sabe, também o melhor marcador da história da Champions, com 116 golos (os outros 15 marcou ao serviço do Man. United). Recorde-se ainda que o melhor jogador do Mundo é também o homem-golo da presente edição da Liga dos Campeões, com onze tiros certeiros, alcançados em sete encontros.
Autor dos dois golos que deram o mote para a reviravolta do Real Madrid diante do Paris SG, Cristiano Ronaldo mostrou-se feliz pelos tiros certeiros e pelo triunfo, mas deixou claro que, apesar do 3-1 alcançado, a
eliminatória ainda está em aberto.
“Temos uma vantagem importante, mas não podemos relaxar. A eliminatória ainda não está fechada. Há que marcar lá”, considerou o internacional português, que marcou o seu primeiro golo em cima do apito para o intervalo. Um momento que
CR7 diz ter sido “perfeito”.
A fechar, o melhor do Mundo deixou uma palavra aos adeptos. “Estiveram impressionantes. É assim que tem de ser, especialmente na Champions. Esta equipa gosta de jogar nesta prova”, finalizou.