A “guerra” comercial entre os Estados Unidos e a China está a afectar a economia global mais do que o previsto. Baixou as suas estimativas para a economia mundial, prevendo que cresça 3,5 por cento em 2019, menos 0,2 pontos percentuais do que a previsão anterior. Para 2020, o fundo estima um crescimento de 3,6 por cento, uma redução de 0,1 ponto percentual face à estimativa anterior. As novas estimativas do FMI constam da actualização ao ‘World Economic Outlook’ (WEO), relatório com previsões económicas mundiais, divulgado esta segunda-feira. O FMI aponta a performance das economias da Alemanha, da Itália e da Turquia como as razões para esta revisão em baixa. “A expansão global enfraqueceu”, indica a instituição liderada por Christine Lagarde, que manteve a estimativa de uma expansão de 3,7 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) mundial para 2018, como na previsão de Outubro, “apesar do desempenho mais fraco em algumas economias, especialmente na Europa e na Ásia”. O FMI desceu em 0,3 pontos percentuais a estimativa de crescimento para a economia da zona euro para (1,6%) em 2019, mantendo a anterior previsão de 1,7 para 2020, e depois da expansão de 1,8 estimada para o ano passado, 0,2 pontos percentuais abaixo da previsão de Outubro.

Previsão de crescimento
O crescimento económico dos Estados Unidos foi mantido em 2,5 por cento para 2019 e 1,8 para 2020, enquanto a previsão de crescimento económico do Japão foi revista em alta para 1,1 em 2019 e para 0,5 em 2020 (mais 0,2 pontos percentuais em ambos os anos do que o previsto anteriormente). O Fundo também desceu a previsão de crescimento para as economias do Médio Oriente, do Norte de África, do Afeganistão e do Paquistão, esperando uma expansão de 2,4 por cento em 2019, menos 0,3 pontos percentuais do que nas estimativas de Outubro, mantendo a perspectiva de um avanço do PIB de 3 por cento para o ano de 2020.