O défice orçamental na Tunísia agravou-se 26 por cento, em finais de Agosto de 2019, atingindo três biliões e 200 milhões de dinares (um dólar americano equivale a 2,8 dinares tunisinos) , em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo os resultados provisórios da execução do orçamento do Estado, divulgados pelo Ministério das Finanças.
Esta deterioração é explicada, essencialmente, pelo aumento considerável dos fundos concedidos ao reembolso da principal dívida de 77,6 por cento entre Agosto de 2018 e Agosto de 2019, para ultrapassar os cinco biliões e 200 milhões de dinares contra 2,9 a mesma moeda. A agravação do défice deve-se também ao aumento das despesas da dívida de 16,4 por cento durante os oito primeiros meses do ano em curso, devido, nomeadamente à subida das despesas de gestão de 20,4 por cento, do facto principalmente, do crescimento do volume de massa salarial de 12,8 por cento para 11 biliões e 200 milhões de dinares.
Os juros da dívida aumentaram igualmente 13,5 por cento em particular depois do crescimento dos interesses da dívida externa (21,5 por cento) e da dívida interna (6,4). No que diz respeito às despesas de desenvolvimento, mantiveram-se quase estáveis, entre 2018 e 2019, para não ultrapassar os três biliões e 700 milhões de dinares, o que representa só, perto de 12,8 por cento do total das despesas do Estado.