O Secretariado da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) e a Capacidade de Risco para África (ARC) assinaram um Memorando de Entendimento (MoU) que estabelece as bases para colaboração em questões de interesse comum, relacionadas ao risco de desastres e financiamento para a gestão de desastres.
A secretária executiva da SADC, Stergomena Lawrence Tax, e o director-geral da ARC, Mohamed Beavogui, foram os signatários do memorando. A ARC é uma Agência Especializada da União Africana (UA), criada para ajudar os Estados-membros a aperfeiçoar as suas capacidades para melhor planeamento, preparar e responder a eventos climáticos extremos e desastres naturais, garantindo assim a segurança alimentar dassuas populações vulneráveis.
No evento, o director da ARC disse estar animado com o MoU e apelou o apoio da SADC para reforçar a participação dos Estados-membros no mecanismo da ARC. Para Mohamed a parceria entre a SADC e a ARC permite que as duas partes trabalhem sistematicamente juntas, para melhorar o perfil dos riscos de desastre que a região enfrenta, fortalecer a capacidade de resposta existente e os planos de contingência e oferecer opções de seguro soberano, para permitir uma acção rápida, quando desastres naturais ocorrem.
O director da ARC acrescentou que a instituição possui actualmente 33 Estados-membros, com mais de 10 países que fizeram um seguro de nível soberano contra a seca nos últimos 5 “pools” de risco de seca. Nesses “pools”, disse, a ARC transferiu mais de 600 milhões de dólares em risco para o mercado internacional de seguros de risco e teve pagamentos de seguro de mais de usd 60 milhões em Estados-membros da UA, até o momento.
A secretária executiva indicou que a recente ocorrência do Ciclone Idai e Kenneth, que afectou alguns Estados-membros da SADC, aumentou a necessidade de uma abordagem regional abrangente e integrada para a redução do risco de desastres e mitigação de todas as formas de impactos negativos.