O Fundo Monetário Internacional antecipa uma subida da dívida pública em Moçambique nos próximos cinco anos, aumentando de 112,9% em 2018 para 130,7% em 2022, antes de descer para os 122,1% em 2023.
De acordo com o ‘fiscal monitor’, divulgado em Bali, onde decorrem os encontros anuais do fundo e do banco mundial, a dívida pública de Moçambique vai subir, nos próximos cinco anos, para 118,7% no próximo ano, com um pico de 130,7% em 2022.
A média do valor da dívida pública na África subsahariana será de 41,7% este ano, quase três vezes menos que a projeção do FMI para o endividamento de Moçambique.
Angola, por seu turno, verá a sua dívida pública subir para 80,5% do PIB, cerca do dobro da média dos países da África subsahariana, descendo depois em 2019 para 71,8%.
O FMI reviu em baixa o crescimento da economia mundial devido ao aumento das taxas de juros e às crescentes tensões sobre o comércio.