O crescimento económico dos Estados Unidos foi maior do que o estimado no segundo trimestre. O Produto Interno Bruto (PIB) da maior economia do mundo cresceu 4,2 por cento, mais 0,1 do que o previsto, um dado que reforça o objectivo do Presidente Donald Trump de terminar o ano com uma expansão de 3.
Segundo os dados divulgados recentemente, na primeira estimativa feita pelo Departamento de Comércio Americano, o crescimento no trimestre foi impulsionado pelo avanço do consumo e pelos fazendeiros acelerando embarques de soja para a China antes que das tarifas comerciais entraram
em vigor no início de Julho.
Os americanos compraram mais bens duráveis (+9,3%) e, em particular, automóveis. Outro factor fundamental para os números do trimestre foram as exportações, que subiram 9,3%, seu nível mais elevado em 5 anos, destaca a agência France Presse.
O relatório do Departamento do Comércio assinala “uma aceleração das exportações de produtos alimentícios, bebidas, alimentos para o gado e especialmente soja”. As exportações contribuíram com 1,12% no crescimento, sua máxima contribuição em 5 anos.

Comparação
O crescimento do PIB em 2017 ficou em 2,2%, abaixo dos 2,3% divulgados anteriormente, com pequenas alterações nos anos anteriores.
Por outro lado, o nível de poupança dos americanos cresceu, graças a um fluxo de receitas que não havia sido registrado no ano passado.

Projecções
A Moody’s projecta um crescimento de 3% no ano fechado de 2018 e de 2,6 em 2019. Para 2020, porém, as estimativas são de aumento de apenas 0,9%.
“O segundo trimestre foi forte, mas foi compensado por corte de impostos e aumento dos investimentos do governo”, destacou o economista-chefe da Moody’s Analytics, Mark Zandi.

Trump comemora resultado
Em entrevista na Casa Branca eira, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comemorou os números e disse que eles são “muito sustentáveis”. Para ele, uma das maiores vitórias da revisão foi a queda do défice comercial do país em mais de 50 bilhões de dólares.
Acrescentou que se o crescimento da economia continuar neste ritmo, os EUA “vão dobrar de tamanho 10 anos mais rápido” do que nas administrações dos presidentes Bush e Obama.
No começo da semana, Trump publicou em sua conta particular no Twitter que os Estados Unidos têm “os melhores números financeiros do planeta”.