O Produto Interno Bruto da maior economia do mundo cresceu à taxa anualizada de 1,7 por cento, depois de ter crescido 1,1 por cento no trimestre anterior, revelou o Departamento do Comércio norte-americano.

Este desempenho superou as estimativas dos analistas sondados pela Bloomberg, que tinham projectado um crescimento de 1 por cento no trimestre passado.

O consumo privado, que tem a maior contribuição para a economia, subiu 1,8 por cento, um registo que ficou abaixo do verificado no primeiro trimestre do ano.

“As perspectivas para a segunda metade do ano apontam para o reforço do crescimento. Temos uma economia que está em recuperação da quase estagnação observada no quarto trimestre do ano passado. O consumo parece resistente, embora um pouco fraco”, comentou Harm Bandholz, economista chefe do UniCredit, à Bloomberg.

Estes dados tiveram pouca influência no mercado de futuros norte-americanos, que mantinham a tendência crescente registada antes da divulgação do relatório. Deste modo, Wall Street deverá abrir igualmente sem grandes alterações face ao fecho de quarta-feira última.