O Fórum para a Competitividade estima que a economia portuguesa cresça entre 1,3 e 1,6 por cento este ano, muito abaixo da meta de 2,2 inscrita pelo Governo no Orçamento do Estado para 2019.
Na “Nota de Conjuntura” de Março, divulgada esta terça-feira, os economistas da instituição liderada por Pedro Ferraz da Costa justificam esta previsão com “a clara deterioração do ambiente externo, as perspectivas para Portugal estão agora piores e já se torna mais difícil antecipar uma recuperação do mau desempenho das exportações noquarto trimestre de 2018”.
Entre as instituições nacionais e internacionais, o Conselho de Finanças Públicas (CFP) tem a estimativa mais baixa sobre a expansão da economia nacional este ano – 1,6 por cento.

Projecções
Na semana passada, o Banco de Portugal também reviu em baixa ligeira as projecções, passando a estar alinhado com a Comissão Europeia, ao prever um crescimento do PIB de 1,7 por ento. A OCDE continua a ser a instituição mais optimista, ao estimar 2,1.
O Fórum para a Competitividade refere que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em Portugal deverá fixar-se ligeiramente acima da média da União Europeia, mas dizem que tal “não corresponderá a qualquer tipo de convergência se, como até aqui, a produtividade
continuar a divergir”.
“Neste momento, com as novas previsões para a zona euro (1,0% segundo a OCDE e 1,1 de acordo com o BCE) estamos em presença de uma desaceleração claramente mais pronunciada do que o normal.
E isto acontece, quando ainda estamos apenas em Março e ainda nenhum dos grandes riscos do ano se materializou: guerra comercial, Brexit,
eleições europeias”, salientam.
“Ou seja, é muito provável que haja novas revisões em baixa das estimativas de crescimento
para o conjunto do ano”.