Os Estados membros da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) e a Coreia do Sul reiteraram na passada quarta-feira, em Singapura, o objectivo de alcançar 200 mil milhões em comércio bilateral em 2020.
O primeiro-ministro da Singapura, Lee Hsieng Loong, defendeu na reunião entre os primeiros-ministros e presidentes dos países da ASEAN, com representantes de países parceiros como Estados Unidos de América, China, Rússia, Japão e Coreia do Sul, a intensificação da cooperação e colaboração tecnológica entre os Estados-membros.
A colaboração servirá para aproveitar ao máximo as vantagens da tecnologia e inovação para melhorar as vidas dos 630 milhões de pessoas da ASEAN (Birmânia, Brunei, Camboja, Filipinas, Indonésia, Laos, Malásia, Singapura, Tailândia e Vietname).

Cooperação comercial
O Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, destacou durante o seu discurso as semelhanças culturais com o bloco do Sudeste Asiático e reiterou a meta dos 200 mil milhões dólares em cooperação comercial, estabelecida durante a reunião da ASEAN do ano passado nas Filipinas. A ASEAN e a Coreia do Sul têm ainda o objectivo de atingir 15 milhões de turistas dentro de dois anos, algo que “aprofundará a confiança mútua”, sublinhou Moon Jae-in. A ausência mais notada no fórum asiático é a do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, representado pelo Vice-Presidente, Mike Pence. No evento, se realizou a segunda sessão plenária das negociações do tratado da Associação Económica Regional Integral (RCEP),
previsto entrar em vigor em 2019.
O RCEP é um tratado de livre comércio entre a ASEAN, a Austrália, a China, a Coreia do Sul, a Índia, o Japão e a Nova Zelândia que, juntos, representam aproximadamente 40% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial e quase metade da população do planeta.