O presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, e o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, assinaram um acordo comercial esta semana que permite a Tóquio evitar novas tarifas na exportação de carros para Washington.
Durante uma reunião em Nova Iorque, à margem da Assembleia Geral da ONU, Trump e Abe assinaram o acordo que haviam delineado na cimeira do G7, realizada há um mês em Biarritz, França.
Segundo Trump, o pacto permite abrir o mercado japonês a cerca de sete biliões de dólares em produtos norte-americanos, a cada ano.
O Japão comprometeu-se eliminar ou reduzir tarifas para 90 por cento dos produtos agrícolas importados dos EUA.
Especificamente, o Japão reduzirá gradualmente as tarifas sobre carne bovina e suína e queijos norte-americanos. Por outro lado, eliminará completamente as taxas das amêndoas, nozes, mirtilos, groselhas, milho e brócolos, de acordo com o Departamento de Comércio Exterior dos EUA.
Em troca, os Estados Unidos comprometeram-se reduzir as suas tarifas sobre produtos agrícolas japoneses avaliados em 40 milhões dólares em 2018, como plantas perenes e flores, chá verde e molho de soja.
“Isso terá um impacto positivo na economia global”, disse Abe na reunião.
Trump espera poder chegar a um acordo “mais amplo” com o Japão “num futuro não muito distante”.
Embora o acordo não contemple carros, Abe disse que recebeu garantias de Trump de que não aplicará tarifas sobre carros japoneses.
Espera-se que ambos os países iniciem novas negociações em Abril de 2020 para abordar a questão dos carros japoneses.