Mais de 340 milhões de cidadãos em 19 países da União Europeia usam o euro, sendo a segunda moeda mais transaccionada no mundo. No entanto, muitas empresas europeias continuam a usar a moeda americana.
No discurso do estado da União, o presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Junker apelou à União Europeia para promover o euro enquanto moeda global e desafiar a posição do dólar. Os europeus vêm o euro como um dos grandes símbolos da União Europeia, mas, para muitas empresas, o dólar norte-americano continua a ser a moeda dos negócios).
Segundo reporta a Euronews, em 2016, mais de metade das importações europeias foram transaccionadas em dólares e apenas um terço em euros. A energia, as matérias-primas e os transportes são os três sectores onde o
dólar é dominante.

Importações pagas em dólares
Cerca de 80 por cento das importações de energia são pagas em dólares apesar de serem provenientes da Rússia, Médio Oriente e de África.
A situação é similar no mercado das matérias-primas onde predomina o uso do dólar. Na indústria da aviação quase todas as transacções são feitas em dólares.
Nas exportações, a realidade inverte-se. Quase metade dos bens exportados pelos 28 países da União Europeia é vendida em euros, um terço em dólares.
Vamos ver um exemplo concreto, os chocolates belgas. Todos os anos, saem das fábricas belgas, oito mil toneladas de chocolate.

Uso do euro
“Um euro mais internacional significaria mais crescimento para a nossa empresa e para outras empresas europeias porque nos tornaria mais competitivos que as empresas dos Estados Unidos e facilitaria as vendas”, explicou David Vermeire, director comercial para o mercado Asiático, do Belgian Chocolate Group.
“Quando vendemos para a Ásia usamos sempre o euro. É a política da nossa empresa porque facilita as coisas ao nível administrativo”,acrescentou o responsável.
Na União Europeia, cerca de metade das exportações são denominadas em euros e um terço em dólares dos Estados Unidos. Nos Estados Unidos, a maioria das exportações é denominada na moeda local.
O papel internacional do euro vai para além do aspecto comercial. As empresas e os governos estrangeiros usam o euro para emitir dívida. No final de 2017, mais de 20 por cento da dívida no mercado internacional foi denominada em euros. Por outro lado, o euro representa 20 por cento das reservas internacionais dos bancos centrais estrangeiros.