O acordo, que deverá receber a aprovação definitiva pelo hemiciclo na sessão plenária de Julho, foi aprovado em sede de comissão parlamentar de forma clara, com 57 votos a favor, nove contra e duas abstenções. Além de se pronunciarem sobre o acordo, os eurodeputados aprovaram também uma resolução na qual deixam claro que o acordo de cooperação será imediatamente suspenso em caso de retrocessos em matéria de respeito pelos direitos humanos, a questão que colocou a UE e Cuba de “costas voltadas”.
A resolução apela também ao fim do bloqueio norte-americano à ilha, advertindo para o grande impacto negativo que o mesmo tem sobre a população cubana.
O histórico acordo foi assinado a 12 de dezembro passado, ao mesmo tempo que o Conselho derrogou a “posição comum” da UE que desde 1996 impedia uma relação normal devido à questão
dos direitos humanos na ilha.