O Fundo Monetário Internacional (FMI) projecta que a economia de Cabo Verde pode acelerar para os 4,3 por cento em 2018. De acordo com a Pana, que cita fonte daquela instituição, no quadro do panorama da economia mundial, um abrandamento da economia cabo-verdiana, já a partir de 2019, com projecções de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) a chegarem “apenas” aos quatro por cento. Também prevê que a inflação deve crescer este ano um por cento e que a balança de pagamentos deve agravar-se no arquipélago cabo-verdiano. A projecção do FMI relativamente à inflação é mais modesta do que a feita pelo Banco de Cabo Verde (BCV) segundo a qual haverá uma barreira mais elevada no intervalo entre 1,75 por cento e os 2,75. Quanto à balança de pagamentos, o FMI considera que, em 2018, esta evoluirá negativamente de -8,8 por cento do PIB registados em 2017
para -9,5.

BCV aumenta fasquia
Já o Banco de Cabo Verde (BCV) projectou um crescimento da economia cabo-verdiana entre 3,5 e 4,5 por cento em 2018, num cenário de aumento do crédito e do investimento e melhoria da situação económica externa. O BCV projecta uma “contínua” redução das remessas dos emigrantes e o aumento da inflação média anual, que deverá situar-se no intervalo 1,75 a 2,75 por cento depois de em 2017 ter sido de 0,8.