Uma missão do Fundo Monetário Internacional (FMI) chegou à Bissau (Guiné-Bissau), para uma visita de trabalho no âmbito da “sexta” avaliação ao Programa de Crédito Alargado, anunciou, em comunicado, o Governo local.
Segundo o Executivo guineense, durante a sua estada em Bissau, que termina a 2 de Outubro, a missão do FMI vai reunir-se com as autoridades guineenses de vários sectores, com o Banco Central dos Estados da África Ocidental, Tribunal de Contas, instituições bancárias, União Europeia, sociedade civil e com várias empresas a operar no país.
No âmbito da “sexta avaliação” ao Programa de Crédito Alargado, o FMI vai também reunir-se com responsáveis para analisar os «planos de investimento no sector energético, compensação das pescas e receitas relacionadas» e produção e exportação da castanha de caju.
Em Junho, o conselho de administração do FMI aprovou a quinta tranche no âmbito do Programa de Crédito Alargado à Guiné-Bissau, que teve início em 2015, no valor de 4,3 milhões de dólares (cerca de 3,6 milhões de euros), totalizando 24,2 milhões de dólares (20,6 milhões de euros) de empréstimo.
O FMI aprovou também um pedido das autoridades guineenses para a extensão do programa por mais um ano até meados de 2019.
Segundo o FMI, o aumento do programa vai ajudar à estabilidade macroeconómica durante o período eleitoral e ajudar às necessidades da balança de pagamentos.
Com a extensão do programa, a Guiné-Bissau vai beneficiar de um empréstimo total de 32,2 milhões de dólares (27,4 milhões de euros).