O ministro das Finanças francês, Bruno Le Maire, desafia os EUA a respeitar as regras do multilateralismo em matéria de comércio internacional.
O ministro francês da Economia e Finanças, Bruno Le Maire, pediu aos Estados Unidos que “respeitem as regras do multilateralismo” e os seus parceiros, sublinhando que o comércio mundial não pode basear-se na lei da selva.
“O comércio mundial não pode basear-se na lei da selva e o aumento unilateral das tarifas é a lei da selva”, declarou Le Maire através da sua conta do Twitter, no dia em que participa no encontro de ministros das Finanças e presidentes de bancos centrais do G20, em Buenos Aires.
A reunião está a ser marcada pela decisão do presidente norte-americano, Donald Trump, reforçar a sua política proteccionista através da aplicação de tarifas aos seus parceiros comerciais, sobretudo a China.
“Apelamos aos Estados Unidos para que respeitem as regras do multilateralismo e os seus aliados”, destacou o titular da pasta das Finanças que teve hoje um encontro bilateral com o secretário do Tesouro norte-americano, Steven Mnuchin.
“Tive uma boa reunião com o ministro das Finanças francês @BrunoLeMaire. Continuaremos a trabalhar juntos para combater a fuga ao fisco”, escreve o representante do governo de Trump no Twitter.
Mnuchin teve também reunião com o titular da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), Ángel Gurria, e com homólogos como o britânico Philip Hammond, com quem concordou “promover uma parceira económica que seja benéfica para ambas as nações”.
O comissário europeu para os Assuntos Económicos e Financeiros, Pierre Moscovici adiantou que as diferenças no que respeita ao comércio se mantêm.”As tensões comerciais mantêm-se e podem agravar-se”, disse o responsável europeu, acrescentando, no entanto,que o encontro não foi “tenso”.
No segundo dia desta cimeira, as sessões, à porta fechada, versaram principalmente sobre a tecnologia no sector financeiro, enquanto a do dia anterior se centrou nos “riscos e oportunidades” para a economia global.