Falta de transparência, possibilidade de perda de todo o investimento e ausência de regulação são alguns dos alertas.
Uma semana depois de a generalidade das moedas virtuais ter experimentado fortes quedas que levaram algumas das principais divisas a mínimos de três meses, as autoridades europeias de supervisão emitiram alertas para os riscos associados a estas criptomoedas.
As autoridades destacam sete riscos associados ao uso destes activos electrónicos:
1. Bolha e elevada volatilidade - Os consumidores devem estar conscientes de que podem perder grande parte ou todo o dinheiro , uma vez que esta negociação está associada a elevada volatilidade e a “sinais claros de bolha”;
2. Sem regulação, não há protecção - Qualquer falência de plataforma deixa o consumidor sem protecção ou qualquer garantia uma vez que estes mecanismos não são regulados a nível europeu;
3. Informação enganosa - Os dados fornecidos aos utilizadores são inexistentes ou incompletos e de difícil compreensão;
4. Problemas na operação - Recomenda-se que sejam tomadas “precauções de segurança” nos equipamentos usados na compra, venda ou troca de moedas virtuais;
5. Preços opacos - Sem transparência na formação dos preços, os consumidores arriscam-se a pagar pela compra ou venda de moedas deste género que não é justo ou correcto;
6. Não existem opções de saída - Os detentores de moedas virtuais podem não conseguir negociá-las ou convertê-las em outras moedas;
7. Inadequadas para investimento - A elevada volatilidade, a incerteza quanto ao futuro e a desconfiança sobre as plataformas de troca.