O Bank of America enfrenta processos judiciais interpostos pelo Governo norte-americano, de acordo com a agência Reuters. As autoridades acusam o segundo maior banco dos Estados Unidos da América (EUA) de fraude na emissão de títulos garantidos por hipotecas residenciais, num total de 850 milhões de dólares (perto de 640 milhões de euros).

A comissão de valores mobiliários do país (SEC) e o departamento de justiça norte-americano interpuseram processos judiciais, em paralelo, junto de dois tribunais norte-americanos. Os organismos acusam o banco de fazer declarações enganosas e não revelar factos importantes sobre o conjunto de hipotecas subjacentes a uma venda de títulos a investidores, no início de 2008.

Em resposta aos processos desencadeados, o Bank of America refere, em comunicado, que se tratavam de “hipotecas primárias vendidas a investidores sofisticados que tinham amplo acesso a dados subjacentes”. O banco garantiu ainda, na mesma nota citada pela agência Reuters, que irá demonstrar isto.

No mesmo comunicado, o banco afirma que os empréstimos que faziam parte daquele conjunto registavam melhor desempenho do que outros “com características semelhantes, criados e securitizados, ao mesmo tempo, por outras instituições financeiras”, segundo a agência britânica. E acrescenta: “nós não somos responsáveisdivulgaçãopelo colapso do mercado imobiliário” que teve por consequência a perda de valor dos títulos.

Até aqui, a maioria dos casos em que o Bank of America se viu envolvido, relacionaram-se com a aquisição do Merrill Lynch e com a credora de habitação Countrywide. O Governo norte-americano ressalva, porém que, neste caso, as hipotecas aos títulos foram criados, securitizados e vendidos pelo Bank of America.

No mercado bolsista alemão, o Bank of America perde 2,93 por cento para 10,751 euros, por acção.