A União Europeia vai realizar a partir da próxima semana uma série de encontros para promover o empreendedorismo e a diversificação económica na Guiné-Bissau, para melhorar o ambiente de negócios no país, anunciou a representação da organização.
Em comunicado, a representação da União Europeia em Bissau refere que os encontros decorrem no âmbito da Assistência Técnica para a Implementação da Diplomacia Económica Europeia na Guiné-Bissau para “apoiar a melhoria do ambiente de negócios e fomentar condições propícias aos investimentos nacionais e estrangeiros” e consequente “crescimento inclusivo”.
O primeiro encontro vai realizar-se em Gabu na quinta-feira próxima, estando prevista a realização de mais dois, nomeadamente em Buba, a 14 de Fevereiro, e em Canchungo, a 19 de Fevereiro.
As reuniões vão ser organizadas em articulação com o sector privado para “dinamizar o tecido empresarial regional e a concretização de parcerias de investimento”, salienta.
Segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), a economia guineense esteve sob pressão em 2018, tendo o Produto Interno Bruto (PIB) real caído para 3,8 por cento, depois de entre 2015 e 2017 ter rondado os 6.
A queda do PIB deveu-se essencialmente a uma menor produção e preços do caju, principal produto de exportação do país e que tem suportado nos últimos anos o crescimento económico.
O FMI tem defendido a necessidade de diversificação da economia guineense, que está dependente da comercialização da castanha de caju.