A taxa de inflação anual do Zimbabwe atingiu quase 100 por cento, o seu mais alto nível há uma década, segundo a Agência Nacional de Estatísticas (Zimstat).
A taxa de inflação chegou a  97,8 por cento em Maio último, contra os 75,86 por cento notados em Abril último. Este movimento representa uma subida de 22 pontos de percentagem em relação à taxa de inflação anual de Abril último, segundo a mesma fonte, que acrescenta que os preços aumentaram 12,54 por cento em Maio último, contra os 5,52 em Abril.
No entanto, a mesma taxa baseia-se num novo cálculo dos bens de consumo. Se a ZimStat continuasse a utilizar o antigo sistema de cálculo, a taxa de inflação anual do mês seria doravante superior a 200 por cento.
Os preços aumentaram nos armazéns tornando a vida diária difícil para os zimbabweanos, confrontados com dificuldades com um dólar zimbabweano local em desvalorização contínua em relação ao dólar americano.
A este respeito, numerosos assalariados viram o seu poder de compra diminuído desde Fevereiro último, data em que o Governo introduziu o dólar RTGS (local).
Com preços ligados ao mercado paralelo de câmbio, a taxa eleva-se a um dólar americano para 10 dólares RTGS, a partir de segunda-feira última.
“Em Agosto de 2019, o dólar RTGS vai ser cambiado em 15 para um dólar americano. Não existe uma produção por enquanto, mas os níveis de consumo são enormes. Afirmar que o Zim (dólar RTGS)  é então a divisa mais forte da região é ao mesmo tempo extravagante e pouco científico.