O ex-primeiro-ministro togolês, Edem Kodjo, de 1994 a 1996 e de 2005 a 2006, propõe a criação dum Fórum Económico Africano à semelhança do Fórum de Davos para que se torne numa plataforma para o lançamento de iniciativas económicas a nível de África.
Participarão neste Fórum países, governos e o sector privado do continente , devendo a Tunísia desempenhar nele um papel de liderança, dadas as suas “boas relações” com todos os países, disse em Túnis Edem Kodjo durante uma audiência que lhe concedeu o Presidente tunisino, Beji Caid Essebsi.
O também ex-secretário-geral da Organização da Unidade Africana (OUA, de 1978 à 1983), actual União Africana, nascida em 2002, e o seu interlocutor evocaram igualmente questões africanas e desafios com que o continente negro está confrontado em termos políticos, económicos
e de desenvolvimento.
O encontro versou igualmente sobre as vias e os meios para reforçar a cooperação entre países africanos a fim de responder às aspirações dos povos de África, nomeadamente o progresso
social e a prosperidade.
O Presidente tunisino, por sua vez, enfatizou a importância das transformações rápidas e profundas em África, realçando os meios e oportunidades de que dispõem os países africanos que os colocam no centro das rivalidades entre potências
económicas do mundo.
Insistiu na necessidade de se reforçar a cooperação e solidariedade da Tunísia com todos os países africanos no interesse dos povos do continente.
Edem Kodjo foi recentemente homenageado em Túnis com o Prémio Jugurtha, em reconhecimento do seu ativismo para defender o pan-africanismo, disse.