A companhia mineira britânica Gem Diamonds anunciou esta semana que extraiu recentemente no Lesotho um diamante de 910 quilates, já considerado como um dos cinco maiores jamais descobertos no planeta.
Esta pedra, extraída da mina de Letseng, poderá valer até 33 milhões de euros, considerou numa nota o avaliador Ben Davis, do
gabinete Liberum Capital.
“Desde que a Gem Diamonds adquiriu a mina de Letseng em 2006, ela produz os diamantes mais interessantes do mundo”, disse o presidente da empresa, Clifford Elphick.
“Este diamante de pureza excepcional é o maior já extraído até a data, da mina Letseng e ilustra a sua qualidade”, acrescentou
o chefe num comunicado.
Esta descoberta foi celebrada nesta segunda-feira de manhã pela bolsa de Londres por uma alta de 14 por cento do título Gem Diamonds.
O Lesotho é um pequeno reino encravado no coração da África do Sul.
O maior diamante do mundo é o Cullinan de três mil e 106 quilates, que foi encontrado na África do Sul em 1905.
Segundo dados de 2007, o país conta com uma população de 1,8 milhão de habitantes, resultando em uma densidade demográfica de 59,13 habitantes por quilômetro quadrado.
De realçar que, o maior diamante do século, o “Promessa do Lesoto”, de 603 quilates (120 gramas), foi comprado por 12,36 milhões de dólares pela South African Diamond Corporation (Safdico). Maior que uma bola de golfe é o 15º maior diamante da história
em relação ao tamanho.
A sua localização geográfica faz o país ter maiores laços económicos e políticos com a África do Sul.