O primeiro carregamento de crude líbio destinado à exportação após oito meses de suspensão deixou o porto de Al-Harriga, no Leste do país, no navio petroleiro Aegean Dignity, para a Itália.

“O navio petroleiro deixou o porto depois de carregar cerca de 900 mil barris destinados ao mercado italiano”, indicaram responsáveis do porto Al-Harriga, controlado desde Julho de 2013 por grupos armados.

O navio petroleiro italiano atracou terça-feira à noite no porto petrolífero para carregar um milhão de barris de crude, anunciou a Arabian Golf Compagny (AGOCO) encarregada da gestão da zona petrolífera.

Esta retomada das exportações realiza-se após a decisão da Companhia Nacional de Petróleo (NOC) de levantar o estado de força maior no porto petrolífero de Al-Harriga, na sequência da sua colocação sob a tutela do Estado, bem como o de Zueitina, após um acordo com os grupos armados que os controlavam desde Julho de 2013.

Os terminais petrolíferos de Zueitina (100 mil barris por dia) e Al-Harriga (110 mil barris por dia) foram reabertos a 6 de Abril corrente após um acordo de seis pontos concluído com grupos armados.

O vice-ministro líbio do Petróleo, Omar Chakmak, anunciou que a entrada em serviço do porto de Zueitina se fará dentro de duas ou três semanas e explicou este atraso pelas disposições técnicas a tomar neste porto.

A Líbia pode recuperar rapidamente o seu nível de produção de um milhão 400 mil barris por dia se os movimentos de protestos que abalam este sector cessarem, indicou Chakmak numa declaração à imprensa.