O Presidente da Venezuela exortou o Governo português a desbloquear os activos do Estado venezuelano retidos no Novo Banco, sublinhando que o dinheiro será usado para comprar “todos os medicamentos e alimentos”.
“Libertem os recursos da Venezuela sequestrados na Europa. Peço ao Governo de Portugal que desbloqueie os 1,7 mil milhões de dólares (cerca de 1,5 mil milhões de euros) que nos roubaram, que nos tiraram” e estão retidos no Novo Banco, afirmou Nicolás Maduro na terça-feira.
Maduro falava numa cerimónia com simpatizantes do regime, por ocasião do 16.º aniversário do programa de assistência social “Misión Barrio Adentro” (Missão no Bairro), transmitido em simultâneo e de maneira obrigatória pelas rádios e televisões do país.
“Com isso (os fundos retidos em Portugal) compraríamos todos os medicamentos (...) sobrariam medicamentos e alimentos na Venezuela. Eu faço um apelo ao Governo de Portugal: desbloqueie esses recursos. Porque nos tiram este dinheiro? É nosso”, afirmou.
Nicolás Maduro insistiu ainda que se os Estados Unidos e a Europa querem “realmente ajudar” a Venezuela, então devem desbloquear esses recursos.
“Já que afirmam que querem ajudar a Venezuela, há uma fórmula muito simples. Não têm que tirar um dólar das vossas contas, desbloqueiem todos os recursos económicos que nos roubaram”, disse, dirigindo-se ao Presidente norte-americano, Donald Trump, e à Alta Representante da UE para a Política Externa e Segurança, Federica Mogherini.
A 15 de Janeiro último, o parlamento, maioritariamente da oposição, aprovou um acordo de protecção dos activos da Venezuela no exterior e delegou numa comissão a coordenação e o seguimento de acções que protejam os activos venezuelanos na
comunidade internacional.