Apesar de não terem sido apresentadas explicações para a revisão do crescimento moçambicano, o INE indica que o PIB terá ficado 0,5 pontos percentuais acima dos 3,3 por cento inicialmente avançados. Ainda assim, este é o crescimento mais baixo desde o princípio da década, de acordo com dados do Fundo Monetário Internacional (FMI).
Na última década, o país registou um crescimento médio de cerca de sete por cento. No entanto, dada a grave crise económica, financeira e orçamental que o país atravessa, depois de ter entrado oficialmente em default (incumprimento financeiro), a tendência de crescimento tem abrandado.
Segundo o relatório do INE, o crescimento de 2016 foi impulsionado “em primeiro lugar pelo sector terciário, que cresceu 6,7 por cento, com maior destaque para o ramo do comércio e serviços de reparação, com um crescimento de cerca de 8,1 por cento”. Também no sector primário verificou-se “um desempenho positivo de cerca de 4,5 por cento justificado pela variação positiva de 41.6 apresentada pelo ramo da indústria de extração mineira”.