O ministro grego da Economia, Dimitris Papadimitriu, demitiu-se poucas horas depois de a mulher ter apresentado a demissão do cargo de vice-ministra do Trabalho por ter recebido subsídios de habitação apesar de ter rendimentos.
Um curto comunicado oficial difundido hoje refere que o primeiro-ministro, Alexis Tsypras, aceitou os dois pedidos de demissão agradecendo o trabalho desempenhado por ambos.
De acordo com a imprensa de Atenas, Papadimitriu pediu para abandonar o executivo na segunda-feira à noite, poucas horas depois de a mulher com quem é casado, Rania Andonoulu, vice-ministra do Trabalho, ter apresentado a demissão.
Os jornais gregos apontaram Raina Andonopulu como um dos membros com “mais rendimentos” do governo de Tsypras tendo aceitado durante dois anos as ajudas financeiras a que os deputados e os ministros têm direito por não residirem na capital antes de terem aceitado o cargo no Governo.
Apesar de a vice-ministra não ter cometido qualquer ilegalidade, as notícias geraram mal-estar político no governo por não ter cumprido as “regras morais” que os ministros aceitaram “para se diferenciarem dos governos anteriores”.
Desde que assumiu o cargo de primeiro-ministro, Tsypras tem mostrado que não tolera casos de corrupção ou comportamentos económicos “imorais” por parte dos membros do governo.
A crise política que marcou o afastamento da vice-ministra Rraina Andonopulu, responsável pelos subsídios de solidariedade ao sector mais carenciado da população grega, prolongou-se durante os últimos dois dias.
Na segunda-feira de manhã, os jornais da capital grega referiam que a vice-ministra estava disposta a devolver ao Estado o montante do subsídio recebido (23 mil euros) e que, por isso, não iria renunciar.