O relatório revela que os mercados bancários africanos estão entre os mais interessantes do mundo. O mercado bancário global do continente é o segundo com maior crescimento e o segundo mais rentável a nível mundial, e um viveiro de inovação. Actualmente, quase 300 milhões de africanos são bancarizados, um número que poderia aumentar para os 450 milhões em 5 anos. O relatório segmenta o mercado africano em quatro tipologias – desde mercados avançados como a África do Sul e o Egipto, a mercados em transição e rápido crescimento, como o Quénia, o Ghana e a Costa do Marfim, a gigantes adormecidos como a Argélia, a Nigéria e Angola, a mercados bancários nascentes, como a República Democrática do Congo e a Etiópia.
O relatório revela também que não há trade-off entre crescimento e rentabilidade, já que os bancos que mais crescem são igualmente os mais rentáveis. Estes “vencedores” definem-se por empregar uma ou mais de cinco práticas vencedoras: Desenhar o mapa acertado, segmento certo, banca mais simples, digital primeiro e inovar no risco.
Este novo relatório tem por base a experiência dos sócios e colegas da McKinsey que servem bancos em todo o continente africano, a investigação realizada através da McKinsey Global Banking Pools, uma base de dados proprietária sobre o desempenho financeiro de 35 bancos líderes africanos, um inquérito a executivos de 20 bancos e instituições financeiras em todo o continente e um inquérito de base alargada a 2.500 clientes de bancos em 6 países africanos - África do Sul, Egipto, Nigéria, Marrocos, Angola e Quénia.
O relatório aponta igualmente que 70 por cento do crescimento das receitas agregadas irá ocorrer nos segmentos intermédios, definidos como rendimentos entre os 6.000 e os 36 000 dólares de rendimento anual.
O mercado massivo – indivíduos que recebem menos de 6.000 dólares por ano – representa 13 por cento do crescimento, mas é o segmento com maior aceleração. Um inquérito a cerca de 2.500 clientes bancários em 6 países africanos descobriu que 25 por cento dos clientes escolhem o preço como o factor mais importante na escolha do seu banco. Igualmente importante é a conveniência, também referida por 25 por cento dos clientes. O serviço é o terceiro factor mais importante, sendo seleccionado por 12 por cento dos clientes. O estudo aponta igualmente grandes oportunidades de venda cruzada – enquanto 95 (pc) dos africanos possuem produtos de pagamento, menos de 20 têm produtos de crédito, de seguros,
de investimento ou depósitos.