O Governo de Moçambique quer cumprir o sétimo Objectivo de Desenvolvimento Sustentável garantindo o acesso universal à energia eléctrica através do Programa Nacional Energia para Todos e que conta com apoio de vários parceiros internacionais.
O Presidente da República, Filipe Nyusi, lançou, na passada segunda-feira, em Maputo, a Estratégia Nacional de Energia, denominado programa “Energia Para Todos” e que tem como principal objectivo levar energia eléctrica para todo o país até 2030.
O desafio é acelerar a realização de novas ligações por ano que actualmente se situam em cerca de mais de 100 mil para cerca de 600 mil por ano, para garantir que todos moçambicanos usem energia eléctrica.

Desafio
Levar a energia eléctrica a 72 por cento da população em 12 anos é um grande desafio que se coloca ao Governo moçambicano.
O alargamento da rede elétrica a todos os consumidores em Moçambique até 2030 vai custar 5,77 mil milhões de dólares, refere a Estratégia Nacional de Energia (ENE)
“Alcançar o acesso universal até 2030 exige que cerca de 5,77 biliões [mil milhões] de dólares sejam fornecidos pelas instituições financeiras internacionais e pelo Governo de Moçambique”, diz a ENE.
De acordo com o documento, do valor necessário para que todos os moçambicanos tenham energia nos próximos 12 anos, o Governo espera obter 4,7 mil milhões de dólares em empréstimos de instituições financeiras internacionais, cerca de 1,6 mil milhões de dólares em doações e 295 milhões de dólares de fundos próprios.
Até 2030, o número de clientes que vai entrar na rede elétrica vai ultrapassar 4,8 milhões de clientes, devendo o número de novas ligações de clientes residenciais nas Áreas de Expansão Subsidiada aumentar de 135 mil em 2018 para 300 mil, em 2020, e 450 mil, em 2025, altura em que o número de ligações foi assumido como constante até 2030.
“O número médio de ligações resultante de clientes residenciais a serem suportados pelo programa de eletrificação de 2018 a 2030 equivale a cerca de 373 mil clientes por ano, ou seja, 4.852.000 clientes no total”, pode ler-se no documento.