O embaixador da França em Moçambique, Serge Seguro anunciou recentemente em Maputo (capital moçambicana), que o seu país abriu uma linha de crédito de cerca de 28,8 mil milhões de kwanzas (300 milhões de euros) para o desenvolvimento de infra-estruturas de transporte de energia eléctrica e gás natural em Moçambique.
O diplomata lembrou que a falta de infra-estruturas adequadas é um “grande obstáculo para o desenvolvimento e aproveitamento dos recursos naturais existentes em Moçambique”, razão para a abertura desta linha de crédito, através da Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD).

O empréstimo deverá ser reembolsado à França ao longo dos próximos 20 anos, período que o diplomata considera suficiente para o reembolso com os “ganhos provenientes da exploAração de recursos naturais valiosos, como carvão mineral e gás natural, que deverão ser explorados com maior intensidade até ao período programado”.
Seguro assegurou, ainda, que apesar da crise económica na Europa, os programas de apoio a Moçambique não foram afectados “pelas políticas de contenção orçamental na França”.