A empresa brasileira de engenharia e construção Odebrecht anunciou, recentemente, a intenção de renegociar três mil milhões de dólares em dívidas com credores.
A empresa também informou, em comunicado, que, após o “período de carência” de 30 dias, a subsidiária ‘Odebrecht Finance’, não efectuou o pagamento esperado de juros sobre os títulos da dívida com vencimento em 2025.
Pretende-se com as decisões “priorizar a aplicação de recursos” na “actividade operacional” e na “conquista de novos contractos” e “preservar a liquidez”, afirmou a Odebrecht Engenharia e Construção (OEC).

Nova etapa
Afirmou ainda que “inaugura uma nova etapa para a sua retoma empresarial”, após a “implementação de diversas medidas com foco na competitividade, conformidade e governança corporativa”. “A OEC está confiante de que essa acção resultará numa empresa mais forte e mais bem posicionada para recuperar os níveis históricos de pedidos e geração de caixa, beneficiando assim todos os seus ‘stakeholders’”, destacou a nota.
A Odebrecht está num processo de reestruturação e transformação após ser protagonista, juntamente com outras construtoras brasileiras, do maior escândalo de corrupção da história do Brasil, relacionado com desvios descobertos na petrolífera estatal Petrobras.
A empresa já assinou acordos de colaboração com a Justiça no Brasil, nos Estados Unidos, na Suíça e em vários países da América Latina nos quais, além de pagar multas milionárias, reconheceu ter cometido actos ilegais e comprometeu-se a não repeti-los.